sexta-feira, 27 de março de 2015

Raça


Se fôssemos todos pretos
ainda assim o nosso sangue seria vermelho!

Se fôssemos todos brancos
ainda assim seriamos todos gente!

Se fôssemos todos amarelos
ainda assim seriamos todos exclusivos!

Se fôssemos todos vermelhos
ainda assim seriamos todos humanos.

Se fôssemos todos iguais
não seriamos tão especiais!

Almoço




Quando fores almoçar
abre a marmita devagar
para libertares calmamente os seus aromas…
Pega nas fatias de pizza com delicadeza
apoia os teus braços na mesa
acorda todos os teus cromossomas.

Cada dentada de sabor
há-de saber-te ao meu amor
e visualizarás as minhas mãos preparando a tua refeição.
Mastiga devagar, engole, saboreia
até a barriguinha ficar cheia
e seres todo satisfação.

Quando fores almoçar
estarei a olhar
por ti nos meus pensamentos.

Pois és na minha vida vitaminas,
açúcar, nutrientes, proteínas,
amor,o melhor dos meus alimentos.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Cansaço




Um sentir dormente

um estar ausente

um vazio...

Uma boca calada

distante

um coração emigrante

um calafrio…



Uma invisibilidade do ser

que por instantes deixa de querer

que viaja rastejando pelo chão…


Um sono constante

um livro guardado numa estante
abraçado pelas amarras da solidão…

quarta-feira, 11 de março de 2015

Guardião do meu ser





As minhas linhas, que vou escrevendo
são centímetros de chão percorrido
como as gotas de suor que vivem escorrendo
pelo meu rosto, cheias de vida e sentido.

Espero a noite, como quem espera uma fada
e entrego-lhe a minha alma em vastidão,
enquanto olho, ansiosa a porta de entrada,
por onde entrará, do meu ser, o guardião.

Horizonto-me nos teus braços, meus amados,
como o mar se horizonta com o céu
e os teus olhos preciosos e  estrelados
cantam-me melodias, dizem-me que és meu.

segunda-feira, 9 de março de 2015

É já março… É já Poesia…







 
Quando a manhã regressa à nossa janela
traz com ela
pássaros foliões,
que meigamente despertam o nosso olhar
com a sua suavidade ao cantar,
oferecendo-nos suas canções.

Lá fora cheia a flores recém-nascidas
que transformam os jardins em telas coloridas
e libertam, para o nosso ser, energia.
Quando a manhã regressa à nossa janela
traz com ela
mais um novo dia.

A Mãe Natureza reinventa o mundo
transforma-o a cada segundo
numa alucinante quimera.
É já março… É já Poesia,
e como que por magia,
lá fora vemos nascer a primavera!

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Ilhas




Há pessoas que são ilhas selvagens
outras miragens
outras desertos.

Há pessoas que são oceanos
outras céus
outras jardins.

Há pessoas que são vulcões
outras ilusões
outras montanhas majestosas.

Há pessoas que são continentes
outras presentes
outras praias formosas.