terça-feira, 31 de agosto de 2010

Dilema

Entre cabeça e coração
nem sempre o compasso é certo;
cabeça manda estar longe,
coração só quer estar perto....

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Tua beleza




Vejo - te no sentido inverso
aos restantes humanos de agora
vêm a beleza do Universo
no exterior... eu não...
tua beleza brota de dentro para fora....

domingo, 29 de agosto de 2010

Papel



O papel é como alguém
a quem conto meus segredos,
onde exponho o que minha alma tem:
alegrias... angústias e medos!

Matei - me




Matei- me para enfim descansar
para que esta dor acabasse,
foi para parar de penar
e renascer até, se calhá -se!

Matei - me todos os dias...
um pouco a cada dia, lentamente,
morri sempre que não tive alegrias
e vi gente me olhar indiferente !

Matei - me por saturar!
Morri pela infinita espera,
matei - me e voltaria a me matar
se soubesse renascer em mim a Primavera!

sábado, 28 de agosto de 2010

Isso apenas



O que procuro no mundo,
nunca encontrei na verdade,
nunca achei , lá bem no fundo
quem me amasse com a mesma intensidade...
Capaz de remover qualquer rochedo,
mesmo que o fosse difícil fazer,
e me protegesse sem ter medo
de todo o mal que pudesse aparecer...
Mas o herói que quero será nobre,
nem terá de ser um príncipe encantado;
é que prefiro um conquistador valente e pobre,
em vez de um rico sereno e destroçado!

Amar...



Amar é correr,
correr é sorrir,
sorrir é viver,
viver é sentir...

Sentir é cantar,
cantar é colher
colher é amar,
amar é vencer!

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Gotas de chuva


Caem gotas miudinhas
nas folhas que me fazem companhia,

caem gotas miudinhas
trazem – me elas alegria!
Caem gotas , uma a uma
Vão me atingindo então,

Caem gotas, uma a uma,
Nenhuma me molha o coração!
Caem gotas; chuva é
Molham minha roupa estendida.
Caem gotas; chuva é
Refrescam elas minha vida!
Caem gotas ! É verão,
não deveria chover,
caem gotas, é verão
são restos de prazer?!
Caem gotas, coisa pouca,
Parecem querer me abraçar,
Parecem beijos da tua boca
Húmidos e quentes, a me beijar!

terça-feira, 24 de agosto de 2010

A tua porta



Ai!!! Que á tua porta passei...
que vontade de te ver,
foi tanta que quase parei
para á tua porta bater!

Ai!!! Que saudades meu Deus!
saí daí a chorar...
tu... dentro de casa com os teus
e eu á tua porta a passar!

Ai!!! Destino que me atraiçoa;
brincas com meu coração enamorado
que chora por saber haver outra pessoa,
que se deita na cama a teu lado...

Nova Esperança


Vive ela,
E a janela, no seu ventre,

Não mente!
No centro do prazer,
No fim da espera
Lá está ela.


As estações passam cheias
De ideias, imaginações,
E batem dois corações.
O tempo que não chega
E apregoa
A vinda, da Nova Boa.


Entoa o canto de embalar,
De vida e novo amar!
Os olhos pequenos que se espera,
Chegarão brilhando,
Vibrando…
São amor que se venera!


É esperança, é vida.
Alegria que se mantém.
É seio que se prepara,
É ventre que ampara,
É amor… é mundo...
É Mãe.



segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Fábrica de sonhos



São enormes suas torres... altas...
espelhadas... reluzentes
tocam por pouco nas estrelas cadentes,
e consolam suas faltas...

Nesta fábrica antiga
mora o sonho de cada qual,
que sonha de forma especial...
que não se rende  á fadiga...

É livre o sonho... é livre a imaginação
cada mente tem sua escolha,
sem rascunho... sem ter folha...
vem esboçado no coração...

Fica á criatividade;
Cada alma se define sem preconceito,
sem acanho, sem vergonha...

E espera que a realidade
lhe traga o sonho ao seu peito,
que ferozmente ainda sonha...

Tão perto


Longe de ti até invento
mil frases para falar
mas quando é chegado o momento,
as palavras parecem faltar.

Longe de ti até acredito
ter liberdade para te sonhar,
mas vendo-te tenho medo
fico-me pelo olhar!

Longe de ti imagino
teu dia a dia , tua rotina
e questiono o destino
que nos tenta com ironia...

Longe de ti até à data
sem conhecer tua existência
senti secretamente saudade ingrata...
Que dor é a tua ausência!

Longe de ti, sem tua voz
mas com as lembranças, é certo,
apesar da distância sei bem que nós
estamos os dois tão ... perto!

domingo, 22 de agosto de 2010

Coração


Peito dorido... magoado
Entranhas tristes... cansado,
Amor perdido no galanteio!

O sentimento apregoa dor
A lágrima fria... quente amor
Que a este não se põe freio...

Quebra o silêncio .... dona tristeza
Que chora de vibrante certeza
O olhar ajoelhado em mim!

Mortalha fria, seca e certa,
Peito vazio... alma deserta
Santo Sepulcro... coração... cetim...

Pensamentos...



Um dia quando eu for velhinha,
e minha pele enrugar,
ainda hei-de ter quem me acarinha
por toda uma vida lhe dedicar.


Um dia mais tarde,quem sabe

hei-de ser quase um ser inerte e imundo;
mas hei-de ter um amor que não cabe
nem em todos os corações deste mundo.


Bem no fim,lá no termo

desta vida minha desgraçada
quando eu for quase um corpo enfermo
ainda hei-de ser acariciada...


Quando a voz de Deus ouvir,lá altíssimo

e do céu me estender a sua mão,
há-de estar chorando,e tristíssimo,
meu filho,fechando meu caixão!

sábado, 21 de agosto de 2010

Abraço



Qual anaconda imponente
que abraça doce até à morte,
assim ages tu docemente
num abraço terno e forte!

Desejado e inquietante
dado depressa com toda acalma,
conseguiste naquele breve instante
abraçar toda a minha alma...

O tempo não pára quando se deseja;
sei que me engano ao recordar o sentido,
meu olhar procura-te mesmo que não te veja;
ainda te ouço segredar ao meu ouvido!

Então,sinto a areia ,olho o mar,
para me aquietar,é o que faço,
finjo ao menos não lembrar
que foste meu naquele abraço!