sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Gata Borralheira



Minha cave é meu reinado,

onde vivo na escuridão da vida

escondida entre o real e o desejado,

entre a chegada e a partida!



Minhas mãos são de trabalho,

desgastadas de costurar o caminho

entre lidas e o ar fresco do orvalho,

caem lágrimas em desalinho...



Já tive sonhos, de ver - me um dia

em imponentes castelos e torres altaneiras,

construídos com abóboras e magia,

e bordados com verdes heras e roseiras!



No baile da vida não tenho passe,

jamais me servirá o cristal do sapatinho...

quem me dera que o príncipe que viesse e me amasse

fosse um pote transbordante de carinho!



Vivo fechada na minha solidão,

viajando com o pensamento, a Terra inteira,

dançando nesse salão de baile, que é o alçapão

onde encarcerada vivo... Gata Borralheira.


quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Entrega


Eu sonho com um leito de relva molhada,
onde eu, possa ser uma gota de céu,
entregue nos teus braços... desarmada,
sentindo teu corpo em mim, como se fosses eu.

Como se fosses eu... dentro de mim,
perdido sem querer encontrar a direcção,
penetrando - me como se eu não tivesse fim...
arrastada pelos desatinos da tua mão...

Desatinada tua mão! Teu corpo inteiro,
possui meu corpo, como se ele fosse
um tronco seco num braseiro,
que no tempo frio, esquenta um chá doce!

Eu sinto um cheiro, que não esqueço,
sempre volta , ao cerrar meus olhos...
Entrego - me a esse doce que mereço
e sinto a alegria que me dás , aos molhos!

Dentro de mim... ficas guardado,
escondido como bicho do mato, cheio de medo,
entre vales e colinas abrigado,
possuindo meu desejo e meu segredo!

Eu sonho que ao acordar p'la manhã,
verei um céu brilhante e iluminado,
e tu que sabes ler meu olhar como ninguém,
ainda estarás me olhando... e ao meu lado!

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Pedidos


Leva- me na tua boca,
Leva- me no teu olhar
que a vontade de ir é louca...
Leva- me, não quero ficar!!!

Dá- me a tua mão,
Dá- me um porto seguro,
que quero estar no teu coração...
Dá- me o teu futuro!!!

Apanha- me, quero estar segura,
Apanha- me neste vazio,
que enquanto tua boca me procura,
Apanha- me num arrepio!

Olha- me profundo,
Olha - me, como te fiz,
que contigo eu ganho o mundo...
Olha- me, estou feliz!!!

Leva- me pela rua,
Dá- me teu calor...
Apanha- me que já sou tua!
Olha- me ... és meu, amor

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

O Amor é...

O Amor é...
aquela voz calada,
é o sorriso do olhar,
é a brisa da madrugada,
é o corpo a falar!

O Amor é...
o silêncio do desejo,
é o aroma de uma flor,
é o mundo conquistado num beijo,
o Amor é... o Amor!!!

Voar… quem me dera




Quem me dera ser
Um pássaro liberto,
Para voar,
Ficar longe, e de ti perto…
Quem pudesse ser
Uma Andorinha feliz,
Para voar,
Sair do meu e ficar no teu país.
Quem me dera ser
Um alegre colibri,
Para cantar
Poemas para ti…
Quem pudesse ser
Um bonito beija- flor
Para voar
E pousar em ti, amor!
Quem me dera ser
Uma gaivota no ninho,
Para voar para ti
Quando estivesses sozinho.
Quem pudesse ser águia, ter sua beleza
Para voar
E defender te coração
Que é minha fortaleza!
Quem me dera ser
O poderoso falcão
Para voar
E de seguida pousar no teu coração.
Quem pudesse ter
Asas para voar;
Sair do desespero
Para na loucura te abraçar.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Meus olhos


Os meus olhos contam histórias
de derrotas, de vitórias,
de amores,
desamores,
de lágrimas e de dores!

Os meus olhos tentam esconder
sentimentos, desejos de prazer...
escondem as partidas,
as lágrimas doridas
e as vertiginosas descidas...

Os meus olhos são o espelho
de um espírito tão velho,
de uma alma magoada,
triste, só e cansada
do desprezo, do vazio.... do nada...

Os meus olhos falam calados
contam miseráveis passados
de desilusão e desgosto,
de inverno em pleno Agosto,
de tatuagens de tristeza no rosto!

Mas meus olhos têm doçura,
amor para dar...ternura,
são olhos de criança...
cheios de vida e esperança
buscando a alegria na lembrança.

Os meus  olhos dizem tudo,
quando meu coração fica mudo,
mostram o sonho ... a vontade,
gritam o desejo de liberdade,
a procura da felicidade!

Os meus olhos são como a voz minha,
que grita louca, que definha!
Olham a beleza do luar...
a imensidão do mar...
o amor no teu olhar...

Os meus olhos buscam cores,
beijos, abraços , amores...
procuram a alegria de viver,
tentando encontrar quem os quer,
um ombro onde adormecer...

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Beijo de anjo

Hoje beijei um anjo doce
feito de mel e alfenim;
beijei-o como se ele fosse
uma parte interior de mim!

Hoje,banhei-me em saliva ardente
fui salva por palavras,por olhares...e sorri,
esqueci-me do mundo...fiquei dormente...
caí nos teus braços...prendi- me a ti!

Anjo do beijo e com boca de loucura,
volta a voar sobre o que eu sinto,
deixa-me olha-te com ternura
pousa em meu corpo vazio...faminto...

Beija-me a boca,beija-me o olhar,
mata essa solidão à míngua,
arranca-me,leva-me contigo...não quero ficar...
...vou agarrada à tua lingua!

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Nevoeiro


Eu já me perdi para me encontrar
entre densos nevoeiros e suor,
desenhando caminhos para chegar,
sem medos, sem tristeza e sem pudor!

Já vislumbrei um olhar carnal
capaz de produzir fogos coloridos...
Olhos... doces olhos que afinal
procuram outros olhos destemidos!

Eu já desviei o olhar, para não ver,
entre densos nevoeiros, corpos suados
e alguém me chamar e me querer,
engolir me em abraços apertados...

Já deslumbrei um chamamento... uma vontade,
de querer ficar adormecida num desfiladeiro,
correndo o perigo de achar essa saudade
e enlouquecida perder - me no nevoeiro...

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Como seria?

Como seria se eu me calasse?
Se eu jamais te falasse?
Que rumo teria teu dia?
Esquecias para viver
ou viverias para esquecer,
a voz da tua alegria?

Como seria se o meu olhar
deixasse de brilhar
quando passas pela rua?
Viverias como o céu estrelado,
ou ficarias desolado
por não teres a luz da tua lua?

Como ficarias paixão,
se me soltasses a mão
e seguisses para longe de onde vou?
Viverias indiferente,
ou procurarias ver em toda a gente
esse olhar que te enfeitiçou?