sábado, 28 de dezembro de 2013

Gerados



Vi no olhar de tanta gente ansiedade
vi a consequência do passar da idade
vi medo angustia, pavor,
vi lágrimas rolando pelo rosto caladas
vi mãos tremulas,faces geladas,
ouvi tantas declarações de amor…

Parimos,amamentámos,criámos
nossos filhos ,
que um dia gerados em nossos ventres,
crescem e tornam-se gente.
Tirámo-los do conformo do lar
ensinamo-los,o mundo,a conquistar,
lançamos ao vento a nossa semente.

São os nossos filhos que crescem
e nossas forças,que desvanecem
aumentam-nos as lágrimas e os ais.
Assim vemos o tempo que passa
enquanto a vida nos leva com graça
para o caminho de onde vieram nossos pais.

Ser mãe não é só parir,
ser mãe é persistir.
E quantas vezes,mãe,quantas vezes,
vou ao teu colo buscar a força de que preciso,
quantas vezes a busco,
e a encontro nas tuas lágrimas e no teu sorriso.

Agora sei o que sentias
porque choravas,enquanto me vias
percorrer meu destinado trilho.
É que a vida aos poucos faz-nos ver
que por mais que um filho possa crescer
há-de ser sempre pequeno,o nosso filho!

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Se assim não for...

Quem ama não ignora,por mais aborrecido que esteja.
Quem ama não agride verbal ou fisicamente.
Quem ama repreende se for necessário.
Quem ama educa e alerta para os perigos.
Quem ama não desiste de lutar e fazer ver qual o caminho mais correcto.
Se assim não for,é porque não deve ser amor!

Quem ama não deixa dúvidas no ar.
Quem ama fala, discute, esclarece.
Quem ama diz que ama e não "eu também". 

"Eu também" não quer dizer "amo-te". 
Quem ama não sente vergonha do que sente. 
Porque amar é o acto mais nobre, digno e saudável do ser humano.
Se assim não for,é porque não deve ser amor!

Quem ama chora, se a sua alma pedir lágrimas.
Quem ama sorri, se o seu íntimo necessitar.
Quem ama demonstra que se importa mesmo no cansaço.
Quem ama protege,em qualquer condição ou lugar.
Quem ama procura a sua paz e conforto num abraço...
Se assim não for,é porque não deve ser amor!

Quem ama,pede perdão, quando soube errar.
Quem ama,ama com virtudes e defeitos.
Quem ama e quer continuar a amar,
não deve esquecer jamais quem ama e os seus feitos...
Se assim não for,é porque não deve ser amor!

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Braços que me acolhem



 

Enquanto me mimo com a lembrança

os pensamentos percorrem-me como um rio

refugio-me na esperança,

que me aquece nesta noite de frio.

Vou percorrendo cada gesto, e cada palavra proferida

e neles encontro a grandeza e o esplendor

de caminhar sempre com vontade, de na vida

escolher caminhos de verdade e amor.

É que riqueza, não tenho

mas se for fortuna o amor,

o meu de enorme tamanho,

é de incalculável valor.

E ouço a chuva que lá fora cai

aguardando os braços que me aquecem

e que gelado do frio, chegar vai,

braços que me acolhem e me enlouquecem…

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Abraços matinais



Lá fora amanheceu!
O céu vestiu-se de azul mar
e eu acordei no abraço teu
cheia de vida e amor para(te)dar.
O sol já espreita
tímido, na manhã de Outono,
enquanto o teu corpo se deita
no meu corpo morno…
Já é dia, mais um dia diferente
cheio de emoções para oferecer
e acordar no teu olhar reluzente
enche-me de forças para viver!

Lá fora a vida já se agita!
Ouvem-se sons,animais,o mundo
e a tua boca grita
o sabor do teu sentimento… profundo.
E entre o frio da manhã que começa
e o calor dos nossos corpos incendiados
Beijo-te…Beijas-me(sem pressa) …
Somos um,nos abraços matinais apaixonados!

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Frio

Fechei-me no quarto e saí. 
Deixei entrar em mim o silêncio. 
Fiz de conta que morri... 
Perfumei-me de incenso...
Em mim voavam dores, 

que persistindo,me desconfortavam, 
e no escuro morriam cores 
como as palavras que se calavam...
Sorvi a calma do vazio

e cheia de dores aconcheguei-me...
Enrosquei-me(fugindo ao frio)

e a mim mesma acompanhei-me...
Era noite,era escuro...
Incerta,esperava o sol nascer,
como incerto estava o futuro
que poderia nunca vir a acontecer...
Fechei-me no quarto e parti
numa viagem só de ida
certa do dia que nasci
mas na incerteza de quando acabará  a vida...
Cheia de dores ... Lamentos...
Tremo(de tão angustiada),
embalam-me meus inquietos pensamentos, 

levam-me arrastada...

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Feiticeira do amor



Foi com a luz do meu olhar

que te enfeiticei

fiz da tua resignação

uma revolução

te apaixonei!



Foi com o cheiro do meu corpo torneado

que te enfeiticei,

fiz do teu querer

uma festa(nossa)de prazer

fiz-te rei!



Foi com a melodia da minha voz

que te enfeiticei

falei-te com a voz da razão

acalmei o teu coração

te embalei!



Foi com a força do amor

que te enfeiticei

saboreaste a felicidade

conheceste o amor de verdade

quando te amei!

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Aqueles dias



http://meme.zenfs.com/u/d9916c1d55473e9673d2dc59dd5827bb0bbe0837.jpeg
Aqueles dias que esperei por ti
estava incompleta, reduzida
porque és o melhor que já senti
em todos os dias da minha vida…

Aquelas noites que te esperei à porta
ansiando a tua chegada
fizeram-me renascer de uma vivencia morta
iluminando a minha madrugada…

Aqueles momentos que fui o destino teu
deram-me alento e energia
ver-te chegar e colher um beijo meu
encheu o meu ser de alegria…

Aqueles abraços ansiosos que me entregaste
foram fortuna e tesouro
e cada vez que me amaste
tornei-me valiosa como ouro…




sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Temi viver



 
Eu hei-de aprender a viver vazia

tal como temi viver, a cada dia

sem abraços, sem carinhos, sem nada

num mundo, longe, sem gosto

lambendo as lágrimas do meu desgosto

chorando a cada cair de madrugada…

Eu hei-de aprender a esquecer meus sonhos

a matar, no meu rosto, sorrisos risonhos

a expulsar de mim as mágoas pintadas de dor…

Hei-de ser só resquícios de razão

que hão-de sufocar a grandeza do meu coração

calando em mim qualquer pedaço de amor…

Eu hei-de aprender a não mais ser

evitando as lembranças e a vontade de querer

ser alguém genuíno e amado…

Hei-de viver desejando que a morte

me leve, e com sorte

um dia serei apenas passado…


quinta-feira, 17 de outubro de 2013

O teu sentir



 
Chamam-te, poeta, de louco,
porque dizes em tão pouco
o que muito ser não é capaz,
despejas a alma num papel
e ao teu sentir és fiel,
vive intensamente teu coração fugaz.

Trazes na boca o coração
e enches as letras de emoção,
pintas em palavras o teu mundo;
choras e ris com o que sentes
e jamais negas e mentes
o teu sentir mais profundo…

Ousadia



Um dia
tomou conta de ti a ousadia.

Trouxe-te até mim
pousaste no meu jardim…

Um dia
tomou conta de ti a ousadia.

Acordaste na minha mente
repetidamente…

Um dia
tomou conta de ti a ousadia.

Ergueste bem alto a vontade do meu sonhar
e deste-me as estrelas salgadas de mar…

Um dia
tomou conta de ti a ousadia.

Ousaste caminhar, viver
ousaste me querer…

Um dia
tomou conta de ti a ousadia.

Agora és o meu dia mais ousado
querido, necessário… desejado…

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Espinhos


Cada lágrima que escorreu pelo meu rosto

escureceu a luz do sol-posto

matou em mim um pouco do meu amor;

desabrigaram o meu bem-querer

nasceram em meu olhar por eu sofrer

salgaram o doce gosto com dor…

Rolaram caladas

doentes,geladas

desesperadamente silenciosas,

transformaram o meu íntimo mais profundo

no lugar mais inóspito deste mundo

engoli a seco espinhos de rosas…

Nasceram por me sentirem falecer

e enquanto me molhavam deixei de querer

existir,sentir,respirar…

Rolaram caladas

doentes,geladas

a soluçar…

Lágrimas de tristeza aliviam o sofrimento

mas são como ácido,que por dentro,

destrói tudo à sua passagem…

E desejamos não existir

deixar de querer sentir

Finarmo-nos como uma aragem…


Cada vez…



Cada vez que eu vou dormir
chamo o teu nome baixinho
só para te ouvir
e sentir o teu carinho.
Cada vez que amanhece
chamo o teu nome com emoção
sinto teu corpo que me aquece
e incendeia-me de paixão.
Cada vez que eu respiro
todo o meu ser quer ser
o teu suspiro,
o teu prazer…

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

O tempo

 
Porque o tempo não para,eu digo:amo-te!
porque o tempo é incerto,eu digo:amo-te!
Porque o tempo talvez tenha o tempo contado,

eu digo:quero-te a meu lado!

Talvez por não querer perder mais tempo sem amar, 

sem beijar,sem sentir o abraço do amor, 
eu queira viver
tudo o que a vida me dá intensamente,honestamente e sem medo.


Porque o tempo não para,eu digo:amo-te!
porque o tempo é incerto,eu digo:amo-te!
Porque o tempo talvez tenha o tempo contado,

eu digo:quero-te a meu lado!

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Vento



Saí nua
P’rá rua
e deixei-me varrer pelo vento
(em pensamento) …
Varreu de mim (ferozmente)
o conteúdo da minha mente
os poemas, os versos
as partidas, os regressos…
Levou-me sem destino, varrida
apagou as linhas da minha vida…
Fiquei vazia, inerte… a levitar…
Precisava… descansar…