quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Braços que me acolhem



 

Enquanto me mimo com a lembrança

os pensamentos percorrem-me como um rio

refugio-me na esperança,

que me aquece nesta noite de frio.

Vou percorrendo cada gesto, e cada palavra proferida

e neles encontro a grandeza e o esplendor

de caminhar sempre com vontade, de na vida

escolher caminhos de verdade e amor.

É que riqueza, não tenho

mas se for fortuna o amor,

o meu de enorme tamanho,

é de incalculável valor.

E ouço a chuva que lá fora cai

aguardando os braços que me aquecem

e que gelado do frio, chegar vai,

braços que me acolhem e me enlouquecem…

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Abraços matinais



Lá fora amanheceu!
O céu vestiu-se de azul mar
e eu acordei no abraço teu
cheia de vida e amor para(te)dar.
O sol já espreita
tímido, na manhã de Outono,
enquanto o teu corpo se deita
no meu corpo morno…
Já é dia, mais um dia diferente
cheio de emoções para oferecer
e acordar no teu olhar reluzente
enche-me de forças para viver!

Lá fora a vida já se agita!
Ouvem-se sons,animais,o mundo
e a tua boca grita
o sabor do teu sentimento… profundo.
E entre o frio da manhã que começa
e o calor dos nossos corpos incendiados
Beijo-te…Beijas-me(sem pressa) …
Somos um,nos abraços matinais apaixonados!

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Frio

Fechei-me no quarto e saí. 
Deixei entrar em mim o silêncio. 
Fiz de conta que morri... 
Perfumei-me de incenso...
Em mim voavam dores, 

que persistindo,me desconfortavam, 
e no escuro morriam cores 
como as palavras que se calavam...
Sorvi a calma do vazio

e cheia de dores aconcheguei-me...
Enrosquei-me(fugindo ao frio)

e a mim mesma acompanhei-me...
Era noite,era escuro...
Incerta,esperava o sol nascer,
como incerto estava o futuro
que poderia nunca vir a acontecer...
Fechei-me no quarto e parti
numa viagem só de ida
certa do dia que nasci
mas na incerteza de quando acabará  a vida...
Cheia de dores ... Lamentos...
Tremo(de tão angustiada),
embalam-me meus inquietos pensamentos, 

levam-me arrastada...