domingo, 23 de fevereiro de 2014

Por aí



Eu vim por aí fora,andando,nesta vida
cambaleando entre sonhos e deveres;
Caí,
chorei,
sofri…
Eu vim andando por aí…
Do negro dos meus dias fiz luxo
e das ondas revoltas fiz energia
que me renovou)
e andando,eu vim por aí
erguendo castelos numa estrada vazia.

Estou tão triste...


 
Estou tão triste
dentro de mim há uma dor
que me agonia, insiste
em lembrar-me do horror...
Estou a chorar por dentro
chora meu coração de mãe
lamento tanto, lamento
não quero viver sem...

Imagino que nem quero imaginar
que ao deixarmos crescer nossos filhos à sua sorte
um dia a vida leva-os sem que possam voltar
da dolorosa estrada da morte...
Estou tão triste, estou nervosa
e escrevo para tentar me acalmar
mas esta dor horrorosa
não para de me amedrontar...
Deve esta dor de perda enlouquecer
aqueles que são verdadeiros pais
sabendo que não irão ver
um filho que se ama , nunca mais...

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Energia



O vento que nos derruba
é também o que nos limpa.
A onda que nos arrasta
é também a que nos movimenta.
Quando o vento passa, estamos varridos, 
podados, 
mais excitados
quando a onda se desfaz deixa-nos a espuma, 
o sal, 
ficamos lavados…
Cada ventania
cada onda na nossa vida
é parte da viagem.
Resta-nos saber colher a onda
e aproveitar a energia da aragem…