domingo, 30 de julho de 2017

Alguns dias nascem cinzentos



Alguns dias nascem cinzentos
E  pintam de escuro o viver
E nem com eficazes unguentos
Eliminam de nós uma teimosa vontade de perecer…

A tristeza vem sorrateira e apodera-se das nossas energias
Deixando-nos petrificados
Envenena -nos as almas, deixando-as vazias
e os olhos tornam-se castelos inabitados...

E tudo em nós perde valor
Deixa, simplesmente de brilhar
E aos poucos deixamos de ser amor
Deixamos de saber como é amar…